Como identificar atração queerplatônica?

A seguinte pergunta foi enviada ao blog:

como eu faço pra saber se sinto atração queerplatônica ou não? Sempre que eu me imagino em um RQP, me imagino com outre não binárie, mas as vezes sinto que eu não sentiria atração nenhuma se eu realmente estivesse em um RQP e as vezes também questiono se o que eu sinto é só atração platônica mesmo

Se você não sente atração, você não sente atração. Não adianta muito ficar especulando sobre a possibilidade de você ter atração ou não.

Atração queerplatônica geralmente é definida como a vontade de estar em um relacionamento queerplatônico com alguém. Se você nunca teve vontade de ter relacionamentos queerplatônicos com alguém específique, você pode dizer que não sente essa atração.

Assim como outros tipos de atração, é possível ter fantasias ou mesmo não se importar em ter um relacionamento com alguém sem sentir atração. Pessoas cupio existem, pessoas aego existem, e pessoas que nem usam rótulos específicos pra isso além de assexual ou aro ou outros assim também.

E, assim como a maioria das pessoas não nasce sentindo atração, é possível que você eventualmente sinta atração e queira mudar o rótulo que usa (se é que você for usar um, já que orientações queerplatônicas raramente são mencionadas ou perguntadas sobre).

Porém.

Queerplatônique é um termo que foi feito para ser vago. Caso você possa, recomendo ler as seguintes postagens:

Estas postagens falam sobre o conceito de relacionamentos queerplatônicos ao invés do tipo de atração relacionado, mas a questão é que os conceitos de atração e de orientação queerplatônicas vieram depois – e a partir – desse conceito.

Você pode ter atração platônica ou alternativa (ou outra) e usar ela para medir interesse em relacionamentos queerplatônicos. Você também pode não definir nenhuma atração que você tem como queerplatônica e ainda se abrir à possibilidade de estar num relacionamento queerplatônico. Não há a necessidade de usar o conceito de atração ou de orientação queerplatônica se você não sabe se ele se aplica a você, ou se você concluir que esses conceitos não se aplicam a você.

Resumindo: Não dá pra fazer nenhum teste pra saber se você sente ou não certo tipo de atração. Mas isso também não é um problema. Você ainda pode entrar ou não entrar nos tipos de relacionamentos que você tem vontade de ter, sem que a atração importe. É importante se comunicar abertamente sobre suas vontades num relacionamento, independentemente das formas de atração que vocês sentem.

~ Ás

Ciclo-orientade?

A seguinte pergunta foi enviada:

existe alguma orientação que é que nem ciclogênero mas ao invés do gênero mudar é a orientação que muda? E qual é o nome de ciclogênero em inglês?

Ciclogênero (que é cyclogender na língua inglesa) possui dois significados:

  1. Um termo para pessoas cujas identidades de gênero mudam com o ciclo menstrual;
  2. Um termo para pessoas bipolares cujas identidades de gênero são entrelaçadas com seus episódios (maníacos, hipomaníacos, depressivos, mistos, etc).

Uma sugestão aqui é de separar os dois termos como ciclogênero-m e ciclogênero-b, respectivamente.

Quanto a ciclogênero-m, existe a orientação ciclo (também cyclo originalmente), cunhada aqui.

A definição é a mesma, mas com atração ao invés de gênero: alguém ciclo tem uma atração que funciona de forma diferente de acordo com o ciclo menstrual.

Já em relação a ciclogênero-b, existe oscil (termo original oscill), uma orientação que muda em relação a qualquer episódio de bipolaridade.

Como termos mais específicos, também foram cunhadas as orientações peto (uma orientação que muda durante episódios de mania ou hipomania) e fusc (uma orientação que muda durante episódios de depressão).

Caso a ideia seja usar só uma orientação que tem a ver com ciclos, também posso oferecer esses:

Cascada-: Uma orientação que é como se fosse uma cascata que passa por outras orientações, e que funciona como um ciclo.

Soroza-: Uma identidade como acefluxo/arofluxo/etc., mas que possui uma sequência específica de orientações pelas quais a pessoa passa.

Unda-: Uma orientação que vem e vai como a maré ou o ciclo da lua.

E daí também tem abro e duo mesmo, como termos mais gerais para orientações que passam por mudanças.

~ Ás

Ajuda com orientação?

Uma pessoa enviou a seguinte pergunta:

Sou gênero-fluido e abrossexual, mas somente teria um relacionamento sério com mulheres e gêneros relacionados com a feminilidade. Qual termo é adequado para essa situação?

Sinceramente, não sei bem qual a intenção da pergunta aqui. Penso que a resposta desejada pode ser para:

  • Existe um termo específico para alguém que é gênero-fluido, abrossexual e só quer ter relacionamentos compromissados com mulheres e pessoas não-binárias cujas identidades são relacionadas com feminilidade?
  • Se alguém é abrossexual mas só quer se relacionar com mulheres e pessoas não-binárias cujas identidades são relacionadas com feminilidade, ainda é mais adequado se dizer abrossexual?
  • Existe algum termo para uma pessoa que é abro em sua orientação sexual, mas que só sente atração romântica/alternativa/queerplatônica/etc. por mulheres e pessoas não-binárias cujas identidades são relacionadas com feminilidade?

A resposta a seguir tenta cobrir os três pontos, em nenhuma ordem específica. Espero que seja útil!


Se você já se considera abrossexual, você é abrossexual. Você não precisa usar outros rótulos para sua orientação, se não quiser, independentemente de quem você quiser ou não quiser namorar/ficar/etc.

Existem alguns termos juvélicos que podem ser usados em conjunto com sua orientação (ou no lugar dela) para dar ênfase em sua atração por mulheres e por pessoas não-binárias, como:

Ametriane/Amólique/Braunitiane: Alguém não-binárie capaz de sentir atração por mulheres e por pessoas não-binárias, exclusivamente ou não.

Enebeane: Alguém não-binárie capaz de sentir atração por pessoas não-binárias, exclusivamente ou não.

Trízique/Orbisiane: Alguém não-binárie capaz de sentir atração por mulheres, exclusivamente ou não.

Femínique/Femárique: Alguém LGBTQIAP+ capaz de sentir atração por mulheres, exclusivamente ou não.

Embinárique: Alguém LGBTQIAP+ capaz de sentir atração por pessoas não-binárias, exclusivamente ou não.

Caso o que você queira dizer é que, ainda que você seja abrossexual, você tem uma atração queerplatônica, romântica e/ou alternativa somente por mulheres e por pessoas de gêneros relacionados com feminilidade, existem orientações como:

Bi-: Alguém que sente atração por dois ou mais gêneros.

Poli-: Alguém que sente atração por múltiplos gêneros.

Trixen-: Alguém que sente atração exclusivamente por mulheres e por pessoas não-binárias.

Fin-/Fee-: Alguém que sente atração por pessoas com identidades femininas.

Femidux-: Alguém gênero-fluido que sente atração exclusivamente por mulheres.

Feminamórique/Femina-: Alguém não-binárie que sente atração somente por mulheres.

Você pode usar sufixos como -(r)romântique caso a orientação seja romântica, -queerplatônique caso a orientação seja queerplatônica, e por assim vai. Você também pode usar o sufixo -flexível para indicar que a atração não é exclusiva a tal ou tais gêneros; por exemplo, alguém feeflexível sente atração por pessoas com identidades femininas mas de vez em quando por outras pessoas também.

É possível usar sufixos como -orientade ou -atraíde se você não quiser ou puder especificar o tipo de orientação.

Você também pode, se quiser, deixar de usar abro, caso sinta que é mais relevante expressar com quem você quer ter relacionamentos ao invés de como sua atração funciona. Porém, especialmente em círculos com opiniões menos inclusivas, isso pode gerar conflitos com outras pessoas que sentem que você está “escolhendo sua orientação” de forma que supostamente fere outras pessoas (ainda que seja apenas algo que você esteja fazendo por sua própria conveniência em um mundo heterossexista e monossexista).

Qualquer que seja sua decisão, ela não é errada ou nociva. Sua orientação é sua e você não deve detalhes sobre ela a ninguém. Os critérios que cada pessoa usa para decidir quais termos usar para sua orientação não são universais e nunca foram, ainda que tenham pessoas que ditem o contrário. Estas só causam pessoas a esconder detalhes sobre suas orientações, ao invés de obrigar pessoas a escolherem as orientações “certas” segundo reducionistas com sucesso.

Porém, sugiro tomar cuidado caso alguém ofereça um termo para atração por “mulheres e pessoas femininas”, porque, ainda que possível, geralmente as definições que essas pessoas usam para justificar esse agrupamento são conformistas de gênero e/ou cissexistas.

“Pessoas femininas”, “pessoas de gêneros femininos” ou “pessoas de identidades femininas” não são equivalentes a “pessoas não-binárias com vaginas”, “pessoas que parecem mulheres” ou “pessoas designadas como mulheres ao nascimento”. Pessoas femininas podem ser homens cis inconformistas de gênero, podem ser melles, podem ser pessoas agênero, podem ser fessaris. Pessoas com gêneros relacionados com feminilidade também não necessariamente gostam de usar maquiagem ou vestidos, e não necessariamente possuem corpos afetados por estrogênio.

Mulher também não é equivalente de gênero feminino, por mais que nossa sociedade exorsexista, cissexista e conformista de gênero tente dizer o contrário. Mulheres podem ser pessoas neutras, masculinas, andróginas, etc. Pessoas com gêneros como neulier, femil e qufa também podem se dizer mulheres ou adjacentes a tal gênero.

Não estou dizendo que não é possível que pessoas tenham atração legítima apenas por mulheres e por pessoas femininas, de forma que não dê pra resumir isso como atração por mulheres e pessoas de identidades similares ou como atração por pessoas femininas porque tal atração inclui mulheres não-feminines e pessoas femininas que não são mulheres. Mas é por essas questões que dificilmente você vai achar um termo que inclua só esses dois fatores, ao invés de apenas múltiplos gêneros ou mulheres e pessoas não-binárias.

~ Ás

Quem pode ser irrexiane?

Y., cujo conjunto de linguagem pessoal é -/-/-, mandou a seguinte pergunta:

Com relação ao termo irrexiane/irrix, é necessário que a pessoa se atraia por pessoas de qualquer identidade de gênero? Uma pessoa trixen, por exemplo, poderia usar esse rótulo por ser trixen? Ou só pessoas omni, pan podem aderir?

A definição de tal termo em sua cunhagem é a seguinte:

Irrexiane é um adjetivo para ser usado por pessoas multi cuja atração desconsidera gênero completamente

Além disso, a postagem especifica que:

É para substituir “cegue em relação a gênero” porque (1) é [um termo] capacitista e (2) deixa implícito que você não enxerga gênero, o que é simplesmente errado. “Irrexiane,” no entanto, é especificamente para a atração daquelus cuja atração, como a minha, não dá nenhuma foda para gênero! Uma pessoa irrexiana pode ser atraída por mulheres, homens e enebês porque gênero não afeta sua chance de atração por uma pessoa.

É válido notar que pessoas pan podem ter preferências, mesmo que a definição comum seja “atração por qualquer ume independentemente de seu gênero”. Este termo ajuda a diferenciar entre pessoas multi com preferências [por certos gêneros] e pessoas multi sem preferências.

Portanto, eu diria que esta é uma cunhagem feita especificamente para pessoas que são, tecnicamente, atraídas por pessoas com qualquer identidade de gênero, mas que podem preferir resumir como sentem atração em “atração por pessoas” ou “atração sem importar o gênero” porque não possuem nenhuma restrição ou preferência em relação à identidade de gênero de por quem podem sentir atração.

Muitas pessoas pan – mas não todas – se veem assim, mas várias pessoas bi, o(m)ni, poli e que usam outros rótulos para suas orientações multi também podem se encaixar nisso.

A versão básica da resposta é que pessoas irrexianas são aquelas que se atraem sem que o gênero seja um fator, e que, se alguém não sente atração por certo gênero, isso significa que gênero é um fator na atração, e por isso alguém não pode se encaixar tanto na definição base de trixen quanto na definição base de irrexiane dentro da mesma categoria de orientação.

Porém, pode ser possível que alguém não tenha interpretado o termo desta forma, e que esteja se referindo a ter atração sem preferência por gênero dentro de sua atração por mulheres e pessoas não-binárias.

Também pode ser possível que alguém sinta atração independentemente do gênero, mas que use trixen como uma forma de dizer que só deseja relacionamentos com mulheres e com pessoas não-binárias, sem considerar isso uma preferência por gênero.

E pode ser possível que, no futuro, algum desses rótulos mude para que seja mais abrangente, de forma que não seja algo aparentemente contraditório ou que precise de uma explicação complexa caso alguém diga que é, por exemplo, periorientade, irrexiane e trixen.

Possíveis termos alternativos

Até onde eu sei, não existe nenhum termo específico para expressar alguém sem preferência por gênero; caso alguém seja trixen e queira especificar não ter preferência nenhuma dentro disso, eu ainda sugeriria só usar trixen ou trixen sem preferência.

Caso a ideia seja especificar alguém que não sente atração por homens, mas que sente atração igual para o resto das identidades de gênero, é possível usar noma/nãomem. Pessoas netúnicas também possuem uma experiência similar, mas também não sentem atração por pessoas não-binárias masculinas ou alinhadas com o gênero homem.

No entanto, assim como trixen, tais rótulos não deixam implícito se há ou não há preferência por algum gênero.

Honestamente, como existem vários termos que são usados para demonstrar preferência por identidades de gênero específicas, acho que ter preferências por gênero é uma possibilidade desconsiderada até que a pessoa diga que tem alguma, por mais que isso não devesse ser algo automaticamente presumido.

~ Ás

Pedidos por termos e por lugares para procurar termos

Noxan, cujo conjunto de linguagem pessoal é i/(eln, yla)/y, enviou os seguintes pedidos:

Sinto que meu gênero é neutro, ambíguo e vasto/imenso. Mas não apenas isso. Ele tem aspectos xeninos e outerinos e também me sinto conectady com homem e mulher, às vezes só com um destes, mas às vezes com nenhum destes. Com frequência, sinto múltiplos gêneros, mas ainda fazem parte de um maior e mais abrangente. Também sinto influência da minha arromanticidade nele. Não sei diferenciar se é alinhamento ou se tenho algum gênero próximo de homem. A minha atração influencia também, de forma que meu gênero é mais próximo de homem quando sinto atração por homens e mais perto de mulher quando me atraio por mulheres. Também me sinto confortável de utilizar alguns rótulos, como (demi)maverique, nímise, poligênero, para descrever minha identidade, ainda que eu ache que não seja suficiente, resume bem o que sou. Não gosto muito de gênero-fluido, mas meu gênero muda de alguma forma. Queria saber de termos que contemplem essas experiências.


No que tange à atração, sinto atração sexual por homens e certas pessoas não-binárias, com fluidez: certas vezes apenas por homens e certas vezes apenas por pessoas não-binárias, e certas vezes por ambos os grupos; já reparei que minha atração não é muito intensa e por vezes flui entre existir e não existir. Sinto atração romântica por muitos gêneros (não sei se são todos), minhas preferências mudam diversas vezes, mas sempre são muitos gêneros. Preciso de certas condições pra ocorrer atração romântica. Atração alternativa apenas por mulheres, mas com certas exceções.


Obs.: Já uso vários rótulos, como demirromântiquy e polifluxo, mas queria saber de mais e, se possível, referências de onde posso encontrar termos. Sei que ficou meio confuso e bem longo, talvez eu tire mais dúvidas aqui, pois ainda não consegui “tapar todos os buracos” com essas perguntas.

Começando pela identidade de gênero, aqui estão algumas identidades que talvez estejam relacionadas ao que você descreveu de modo geral:

Gênero-vasto: Um gênero que pode ser descrito por muitos rótulos diferentes, mas que é apenas um gênero difícil ou impossível de descrever com um único termo.

Kyklosgênero: Alguém com vários gêneros conectados entre si que formam uma vasta experiência de gênero. Pode ter gêneros bem definidos como estrelas no espaço, assim como sentimentos de gênero meio indefinidos como poeira cósmica. Este termo é baseado em nebulagênero, com a diferença sendo que nebulagênero é para quem só tem xenogêneros, enquanto kyklosgênero é um termo mais abrangente.

Poligênero-fluxo: Alguém com múltiplos gêneros, cujos gêneros mudam de intensidade entre si.

Plásmique ou gênero-plasma: Alguém cujo gênero muda ou se mexe dentro de si mesmo; alguém cujo gênero tem características de gênero-fluido, mas sem que seu gênero realmente mude de intensidade ou para outros gêneros.

Pangênero: Embora muitas descrições digam que pangênero é apenas ter todos os gêneros possíveis dentro de sua cultura e experiência de vida, muitas pessoas pangênero parecem tratar pangênero como um gênero só que parece infinito ou que é uma quantidade imensa de gêneros em um gênero só, ou mesmo como algo fluido entre essas experiências (exemplo 1, exemplo 2, exemplo 3).

Gênero-estrela: Esta também é uma identidade com muitas definições. Uma delas é para uma identidade de gênero que não se encaixa em nenhum outro rótulo, e outra é que é um gênero que parece não ser humano ou terrestre por estar além da compreensão.

Augênero: Uma identidade de gênero que muda de tempos em tempos, por estar sempre crescendo e incorporando novos traços e novas qualidades de outros gêneros. É uma identidade composta por vários gêneros ou por um único gênero multifacetado, mas que de uma forma ou de outra existe num estado de ação e/ou crescimento.

Gênero+ ou gênero-mais: Alguém cuja identidade de gênero é grande e complexa, e por isso não pode ser descrita com somente um termo. Um termo é escolhido então para representar melhor o gênero, ainda que o sufixo indique que há mais do que isso. Dá pra usar gênero-orientação+, poligênero-mais ou gênero-vasto+, por exemplo.

Gênero- ou gênero-menos: Alguém cuja identidade de gênero não se encaixa bem em nenhum termo, mas se encaixa parcialmente em certo rótulo. Por exemplo, é possível ser pangênero- ou atrafluidy-menos.

Novigênero: Uma identidade de gênero difícil demais de descrever em palavras.

E aqui estão algumas identidades relacionadas às características mais específicas citadas:

Gênero-orientação: Um termo guarda-chuva para identidades de gênero que são definidas por ou inseparáveis da orientação da pessoa. Uma pessoa pode ser gênero-arromântico, gênero-demirromântico e/ou gênero-polifluxo, por exemplo.

Atrafluide: Alguém cujo gênero muda para ser o mesmo ou similar ao(s) gênero(s) pelo(s) qual(is) a pessoa sente atração no momento. Feito para pessoas multi com preferência que muda de tempos em tempos, mas você pode se dizer atrafluidy mesmo que sua atração por um gênero ou por outro deixe de existir.

Neutrigue: Embora o termo não tenha sido definido formalmente, ele foi proposto como uma sugestão para um gênero neutro e ambíguo.

Ambonec: Alguém que é homem e mulher e nenhuma das duas coisas ao mesmo tempo. É um termo que pode ser interpretado de diversas formas, com uma delas sendo ser homem, mulher e outro(s) gênero(s).

E aí também dá pra dizer que você tem um ou mais gêneros que possuem características específicas usando termos como neegênero, ameegênero, xeegênero, oeegênero, hoeegênero e mueegênero, que significam respectivamente que você tem uma identidade de gênero relacionada com neutralidade, ambiguidade, xeninidade, outerinidade, ser homem e ser mulher.

Quanto à orientação sexual:

Torensexual: Alguém que sente atração sexual apenas por homens e por pessoas não-binárias. Não é necessário sentir atração por todas as identidades não-binárias para se dizer toren.

Grissexual, gray-assexual, assexual cinza ou similar: Alguém que não é alossexual (fora do espectro assexual), mas que sente alguma atração sexual, com esta podendo ser fraca, apenas por algumas pessoas, apenas sob certas condições, só existente ocasionalmente, etc.

Duossexual: Alguém cuja atração sexual é fluida entre poucas orientações, as quais geralmente podem ser nomeadas. Em seu caso, talvez você tenha orientação sexual fluida entre torensexual, medissossexual/ceterossexual, virsexual e assexual. Caso você não saiba o que tais orientações signifiquem, é só clicar nos links.

Abrossexual: Alguém cuja orientação sexual é fluida. Originalmente, a orientação era para pessoas que não conseguiam definir sua orientação além dela ser fluida, mas hoje em dia é meio que um termo guarda-chuva para orientações fluidas. Escrevo sobre um pouco dessa história aqui.

Acefluxo: Alguém cuja intensidade de atração sexual é fluida (chegando nos extremos de ser completamente alo ou completamente sem atração ou não), ou alguém cuja orientação é fluida entre orientações do espectro assexual.

Não sei se você vai querer usar acefluxo porque, pelo seu relato, parece que a fluidez da atração entre homens e/ou pessoas não-binárias parece ser mais importante para você do que a fluidez entre não ter ou ter atração, mas decidi colocar aqui porque a experiência se encaixa.

Quanto à orientação romântica:

Eu diria que polifluxo já é uma ótima escolha. Bifluxo, polirromântiquy e abrorromântiquy são todos termos que se encaixam, mas não sei de nada que se encaixaria melhor em relação a sentir atração por vários gêneros com uma preferência que muda.

Quanto a questão de sentir atração condicional, pensar num rótulo diferente de demi vai depender de qual é a condição. Sempre existe grisromântique (ver grissexual acima), e daí existem termos como aliqua (atração somente sob certas circunstâncias) ou kairo (alguém que só sente atração quando certas condições foram preenchidas), mas só posso sugerir termos mais específicos caso tenha alguma ideia sobre tais condições.

Quanto à atração alternativa:

Feminalternative: Alguém não-binárie que só sente atração alternativa por mulheres.

Feminaflexível: Alguém não-binárie que geralmente só sente atração por mulheres, mas que também pode sentir atração por outros gêneros de vez em quando.

Mulhealternative ou womalternative: Alguém que só sente atração alternativa por mulheres.

Mulheflexível ou womaflexível: Alguém que geralmente só sente atração por mulheres, mas que também pode sentir atração por outros gêneros de vez em quando.

Pulsárique: Alguém cuja atração por certo(s) gêneros sempre está lá, enquanto a atração por outro(s) gêneros muda de intensidade de tempos em tempos, às vezes existindo e às vezes não.

Agora, referências de termos pode ser algo complicado. A maioria dos arquivos possuem buracos em algum lugar. Mas ok, vamos lá:

As listas do Orientando possuem uma variedade básica de termos, com suas traduções para a língua portuguesa.

O catálogo de termos@colorid.es contém uma quantidade maior de termos traduzidos/explicados na língua portuguesa, mas também não chega perto de ser um “arquivo completo”.

Na língua inglesa, posso recomendar bem mais recursos:

Principalmente para identidades pré-2016, é possível consultar os documentos associados ao deviantArt Pride-Flags (que incluem termos sem bandeiras). O documento de orientações e termos relacionados se encontra aqui, e os arquivos relacionados a gênero e sexo estão aqui e aqui. A galeria de deviantArt em si também tem bastante coisa que não necessariamente está nos documentos, assim como o Tumblr associado.

LGBTA Wiki está crescendo bastante, ainda que tenha vários termos que possam ser ou ser vistos como problemáticos ou feitos por trolls.

Lilac Library/Variant Archive é um arquivo ainda ativo do qual gosto bastante. Gender Resource é outro Tumblr ativo que tenta ser bastante completo, mas é focado somente em identidades não-binárias.

O Tumblr heterosexual is not a default existe desde 2015 e tem bastante postagens sobre termos reblogadas nele. Seu moderador também responde perguntas sobre questões NHINCQ+. Ele também arquivou vários termos cunhados no Twitter aqui.

O Tumblr gender-archival não só rebloga cunhagens de identidades de gênero, como também faz postagens trazendo identidades que foram cunhadas em outros lugares, como Reddit, LGBTA Wiki ou Twitter. Porém, é apenas sobre identidades de gênero, até onde sei.

O Tumblr neopronouns tem cunhagens novas e seu dono responde perguntas e aceita pedidos de bandeiras. Ocasionalmente também há reblogs.

Aromantic Flag Archive é um Tumblr que só rebloga postagens de bandeiras de identidades do espectro arromântico, ou que são comuns entre pessoas arromânticas. Muitas delas acompanham definições.

Plurgai não posta conteúdo estritamente NHINCQ+ em sua maioria, e faz bastante bandeiras alterumanas e/ou neurodivergentes, mas tem vários termos NHINCQ+ para quem é altersexo e/ou plural lá que não ganham muito alcance, então acho que vale a pena mencionar.

Beyond MOGAI Pride Flags tem diversos tipos de termos, incluindo não só bandeiras para neurodivergências e identidades otherkin como também para formas de não-monogamia, orientações, modalidades de gênero ou identidades de gênero problemátiques ou controverses. Porém, tem vários termos NHINCQ+ que foram cunhados ou arquivados lá, e ao menos algumes de sues moderadóries sabem o suficiente sobre termos para responderem bem perguntas sobre eles.

Os Tumblrs mogaimom, xeno-aligned e imoga-pride também possuem várias postagens de termos que podem não ter sido muito compartilhadas em outros Tumblrs.

Espero que isso tenha ajudado! Não achei a pergunta confusa, apenas complexa por conta de ser várias coisas em uma.

~ Ás

Drag e a comunidade NHINCQ+

Cá, que usa -/ela/e, enviou a seguinte pergunta:

Drag Queens/Kings/Queers se encaixam na comunidade LGBTQIAPN+? Tipo, é uma forma de arte, mas é associada a comunidade, há alguma sigla?

As artes drag, num geral, nasceram na comunidade. A mais conhecida e popular, Drag Queen, era muito praticada por homens cis e gays (até onde se sabe) e pessoas transfemininas, mas sempre foi aberta e praticada por pessoas de qualquer identidade de gênero e orientação dissidentes (isso vale pra qualquer arte drag). É muito raro pessoas de fora da comunidade praticando qualquer uma dessas artes, mas não é impossível. Enquanto expressões de gênero desviantes, se encaixam como queer.

Sinceramente, não acho que pessoas de fora da comunidade que fazem drag também fazem tanta questão de se dizer queer, mas podem se sentir próximas da comunidade. Nada impede alguém de se declarar queer por fazer drag.

Não existe uma letra específica, e nunca vi praticantes de drag reivindicando isso. Até porque, por serem quase sempre pessoas da comunidade, já possuem suas demandas. Qualquer possível discriminação contra drag é fruto da cisnormatividade mesmo.

Resumidamente: são artes nascidas na comunidade, mas existe a pequena possibilidade de ser feita por pessoas que não são dela (ou que não se consideram parte dela).

~ Rubião

Eu nunca vi nenhuma sigla incluindo letras para drag de forma específica, mas para algumas situações já vi pessoas usando TGNC (Trans & Gender Non-Conforming), sendo que não-conformismo/inconformismo de gênero, ou seja, romper com papéis de gênero, é algo que geralmente inclui drag. Isso ocorre mesmo quando se trata de pessoas do mesmo gênero que sue personagem drag, afinal, ainda são expressões de gênero exageradas que vão contra as normas sociais.

Mas esta seria uma sigla para se referir a uma população mais específica, e que não tem o objetivo de ser algo mais geral como NHINCQ+ ou LGBTQIAPN+.

~ Ás

Sobre conjuntos rotativos e elementos de conjunto incomuns

Lili enviou a seguinte pergunta:

Pergunta: Como tenho dificuldade em encontrar conjuntos que sejam perfeitos para mim e que avoquem uma sensação plena de comodidade, sempre estou experimentando e trocando meu set para não ter tempo de sentir-me nem deslocad nem perdid ─ principalmente por causa do acostumamento e da perda do encanto.

Por isso, acreditando que tal técnica possa aligeirar um pouco este sentimento de não pertencimento, gostaria de saber se existe um elemento que caracteriza o uso de linguagem rotativa entre conjuntos pré-estabelecidos.

(P.S.: Vocês poderiam agregar no final neopronomes mais “incomuns”? São difíceis de encontrar e são os únicos a me deixarem confortável.)

Previamente, obrigad!

Para quem não entender o que está sendo dito aqui, um guia que explica conjuntos e rotação de elementos de conjuntos pode ser encontrado neste tópico.

Eu já sugeri previamente (provavelmente em outro lugar) que pessoas que querem elementos de conjuntos rotativos entre conjuntos específicos podem usar algo como -/[r: éli, els, ael]/[r: ae, y], mas não sei o quanto outras pessoas entenderiam. Pode ser mais fácil listar uma porção de conjuntos (nem que seja em um link externo) e falar que é pra rotacionar entre eles, especialmente quando são mais do que duas ou três possibilidades.

Pro seu caso, e caso você esteja confortável com isso, eu sugeriria dizer que você usa qualquer conjunto fora certos conjuntos específicos mais comuns (por exemplo, todos fora a/ela/a, e/elu/e e o/ele/o), e que é pra usar quaisquer elementos que não sejam esses.

Rubião também sugeriu colocar r: (ou outra indicação de rotacionamento, como rtt, rot ou rotacionar) no início dos conjuntos sendo listados, como em r: (am, x, le)/(ewl, iel, oel)/(an, q, el).

Sobre conjuntos incomuns, eu não sei o quanto adianta tentar sugerir um monte de possibilidades. Elas são ilimitadas. Alguns dos elementos de conjuntos que encontrei ou inventei estão disponíveis aqui e aqui, mas não sei o quanto adianta pensar em várias outras possibilidades apenas para que tenham chances de serem usadas.

O texto Como criar um pronome pode ajudar na criação de pronomes, e quanto ao resto eu sugiro evitar finais de palavra que começam com consoantes e artigos que sejam palavras já existentes (como lá ou de), ainda que eu não ache o fim do mundo se você quiser ignorar essas sugestões em alguns conjuntos.

Acho que qualquer pronome que não contém a letra L vai ser incomum (embora pronomes como aeli, iel, ol, ul, yl, alu e ilin também sejam). Então se, por exemplo, você gosta do som de i/y, você pode usar ini, iwy, yci, ify, inhy e tudo mais. Também é raríssimo achar gente usando artigos específicos além de a, e, ê, i, le, o e u, ou finais de palavra que contenham mais do que uma letra. Espero que isso ajude.

~ Ás

O que se faz com palavras que não mudam só o final de palavra?

Alguém que preferiu ficar anônimae perguntou:

No que se refere às alternativas neutras para substantivos heterônimos, assim como termos biformes fora do padrão, o final da palavra ainda é alterado de acordo com o conjunto de linguagem da pessoa?

fica difícil mudar fim de palavra com uma simples terminação se toda a palavra denota algum gênero binário

é necessário então mudar mais do que o fim dessa palavra, ou mexendo na estrutura ou então cunhando outra palavra diferente

~ Muriel

Isso é uma questão bem pessoal e complexa também. Mas vamos lá. Assim, os termos biformes são todos heterônimos, porque são palavras com radicais diferentes para ambos gêneros gramaticais normativos. Temos o exemplo clássico de pai e mãe.

Essas palavras vão quase sempre exigir alternativas cunhadas mesmo, palavras totalmente novas. Existem propostas. Mesmo que haja uma alternativa que será usada como neutra padrão, nada impede a cunhagem de outras palavras, e que talvez possam agradar pessoas de outros conjuntos.

Pessoas que usam o final e, por exemplo, podem preferir os pronomes minhe e sue por causa da terminação. Mesmo assim, e mesmo e sendo a neoflexão mais comum e popular, isso não impede que haja as propostas mi e su, e que isso cause ainda discordância sobre qual dessas palavras seria a melhor, ou a mais indicada como uma alternativa neutra padrão. Porém, é provável que alguém que use final i pode preferir mi, e alguém que use final u pode preferir su. Alguém que usa final ae pode não se incomodar com a palavra mãe, tanto por ter ae na palavra quanto por ser associada a um final parecido (a), da mesma forma que alguém que usa final u pode não se incomodar com a palavra pai, por ter um final de palavra parecido com o.

É uma discussão longa, varia de pessoa em pessoa, e não existem respostas definidas.

Agora, existem palavras com flexões mais diferenciadas, e que podem talvez seguir com o conjunto de cada pessoa. Por exemplo, para sacerdote e sacerdotisa existe a alternativa sacerdotixe. Alguém que usa final ae poderia usar sacerdotisae, e alguém que usa final i poderia usar sacerdotixi.

Enfim, o que temos pra agora são propostas e nenhum consenso. Portanto cabe a cada ume analisar e ver qual alternativa lhe agrada, e, se não houver, considerar cunhagens. Espero ter respondido sua pergunta.

~ Rubião

O que tenho a adicionar é o seguinte: existem palavras onde a “versão neutra” vai ser uniforme, e outras palavras onde a “versão neutra” vai poder mudar de acordo com o final de palavra.

O exemplo dado da palavra mi (alternativa neutra para meu/minha) e da palavra minhe (outra alternativa, mas uma que usa o final de palavra e) é útil pra explicar isso: quando alguém usa mi, não importa se a outra pessoa tem o final de palavra i, e, ae, el, y ou afins: a palavra vai ser sempre mi. Porém, quando alguém usa minhe, isso indica especificamente o final e, então este final seria trocado por outros para falar sobre minhel amiguel, minhae alunae ou mínhi advogádi.

Agora, se “o certo” é usar as versões com final de palavra flexível ou não, isso vai depender de cada pessoa e situação. Na dúvida, não tem problema em escolher algo que pareça que dê menos chances de fazer com que alguém se sinta maldenominade: por exemplo, eu não recomendaria usar mãe pra alguém que tem o final de palavra ae ao invés de náter (versão que não usa final de palavra) ou nae sem perguntar com antecedência.

Aqui tem um link para várias informações sobre neolinguagem, que também inclui algumas listas de palavras alternativas para estas situações. Algumas não vão ter final de palavra flexível (como heréi ou nadriarca), enquanto outras sim (como atore e reinhe).

~ Ás

O quanto uma atração no passado é relevante para alguém se dizer arromântique?

Miuzinha, que descreveu seu conjunto como “-a/ela” (interpreto aqui que -a se refira à letra A ser o final de palavra e que Miuzinha não usa ou não quis usar artigo?), enviou a seguinte pergunta:

– Sou arrômantica? –

Eu adoro romances ficcionais, é meu gênero favorito, gosto de ver casais se formando, até na vida real acho algo legal (apesar de preferir a ficção, pois não gosto de meter na vida pessoal de terceiros)… Porém, apesar da minha ideia positiva ao romance, não consigo mais sentir vontade em entrar num relacionamento.

Já pesquisei sobre arromanticidade muitas e muitas vezes, inclusive em inglês, a verdade é que já senti atração romântica uma vez durante minha vida (e isso faz quatro anos), porém:

1) Na época, eu também não queria necessariamente entrar num namoro com ele (não sabia da existência de RQP, olhando agora para o passado talvez seria isso que eu queria ter);

2) Sinto que sou uma pessoa que não sente mais atração romântica, lógico que é difícil falar com toda certeza, mas fazem quatro anos que senti essa tal ~atração romântica~, não foi uma experiência traumatizante nem nada do tipo, é só que consigo me sentir dessa forma por ninguém, mesmo eu conhecendo pessoas novas, independente do gênero.

Estou perguntando isso aqui porque fico com receio de me autodenominar arrômantica estrita, pois não consegui me identificar com nenhum dos outros espectros, sendo que também já senti atração romântica uma vez, talvez eu possa sentir de novo algum dia, mas minha vontade de ter um namoro é ZERO, desde quando nasci foi assim, nunca tive vontade, quando me forcei uma vez (por uma pessoa que eu não sentia nada) tive uma crise de ansiedade. Então gostaria de saber, sou arrômantica? Talvez eu seja fluída mas não tenho tanta certeza. Reforçando que sou 100% romance positive.

Obs: Não sei se é uma informação relevante, mas eu sou assexual estrita.

Eu acho que essa pessoa não deveria se identificar como arromântica estrita já que ela, em algum momento de sua vida, sentiu atração romântica, mesmo ela não querendo estar num namoro, ela sentiu tal atração, logo, acho que ela deveria usar outro termo. Como gray, asten, ou aro fluide, como ela disse.

~ Karu

Rótulos servem para você descrever sua situação num momento. Se neste momento de sua vida você acha que poderia se descrever como arromântica ou arromântica estrita, você pode usar estes termos, ainda que não sejam coerentes com a percepção de sua orientação no passado.

Também não vejo nada de errado em você se descrever como arromântica, aegorromântica, grisromântica ou arofluxo.

Arromântica, pra mim, seria o termo que faz mais sentido dentre o que você descreve: você não se vê tendo atração romântica atualmente, e ainda que você talvez você tenha tido ou vá ter essa atração, não é o suficiente para você querer se denominar como alguém que sente alguma atração romântica. Gostaria de lembrar que não há necessidade de se definir ou como arromântica estrita (alguém que nunca sente atração romântica) ou como grisromântica (alguém que só sente atração romântica de forma fraca, rara, vaga, condicional ou de outra forma não-alo); você pode só se dizer arromântica e ninguém vai ter direito de te questionar.

Dizer-se aegorromântica pode ser útil se você quer justificar seu gosto por romances alheios/na ficção ainda que você tenha pouca ou nenhuma atração romântica.

Grisromântica seria a opção que engloba muita gente com esse sentimento de que sentiu ou pode sentir alguma atração romântica. Pode ser uma opção, já que você tem dúvidas sobre onde está no espectro arromântico mas se vê nele.

E aí tem arofluxo, que é a opção caso você se veja como uma pessoa que flui entre sentir e não sentir atração romântica, e/ou entre mais de uma orientação no espectro arromântico.

Também acho que asten pode ser uma alternativa (como Karu falou), e mir se você se identifica com várias dessas coisas e não quer escolher um termo só ou listar vários.

Acho que pode ser importante ressaltar que é possível ter repulsa pela ideia de estar em relacionamentos românticos e usar um termo que denota a possibilidade de ter atração romântica, assim como é possível separar desejo sexual da possibilidade de ter atração sexual.

De qualquer forma, acho sempre bom lembrar e destacar nesses casos que quem decide quais termos você vai ou não vai usar é você, e que você sempre pode mudar com quais termos se identifica caso mude de ideia. O que oferecemos aqui são sugestões, não ordens. Também é possível que você se decida por alguma orientação não listada aqui, como outras desta ou desta lista.

Espero ter ajudado!

~ Ás

E quem é gênero-fluido, mas atraíde só por um gênero?

Alguém que pediu anonimidade perguntou:

Oi. Queria saber se uma pessoa gênero-fluído pode usar termos quando flui. Se é mulher, lésbica, se é homem, hétero, se é nb, gine etc.

A versão curta da minha resposta é a seguinte:

Pode sim. Mas também pode usar termos que não mudam de acordo com o gênero ou que são específicos para quem é gênero-fluido se a pessoa não quiser confundir outras, ficar mudando os termos que usa ou mesmo não se sentir bem em classificar sua orientação como algo que a pessoa só é às vezes.

E aqui está a versão elaborada disso:

Existe mais de uma forma dessa pessoa se definir, e todas elas são válidas. Elas se resumem a trocar de rótulo de tempos em tempos, como no exemplo da pergunta, e a usar sempre o mesmo rótulo.

Pessoas não-binárias não precisam se conformar com expectativas binárias de como suas orientações devem funcionar. E isso pode incluir ter que aceitar que alguém pode às vezes ser mulher e ver o termo lésbique como adequado para si e às vezes ser homem e ver o termo hétero como adequado para si.

Porém, tem gente que não quer falar que é de uma orientação diferente cada vez, ou que não quer ter que ficar mudando perfis e coisas assim. Estas pessoas podem optar por diversas soluções:

A primeira é usar um termo específico para pessoas não-binárias. Alguns deles são feminamórique, viramórique, mártique, terrárique e venúsique. Qualquer pessoa cuja identidade de gênero pode ser caracterizada por mudar de tempos em tempos pode se dizer não-binária e por isso pode sempre usar tais orientações, mesmo que em momentos a pessoa seja completamente homem ou completamente mulher.

A segunda é usar um termo específico para sua situação. Femidux é alguém gênero-fluido que sente atração apenas por mulheres. Alguém fluoriane é homem, mulher e não-binárie e sente atração por homens (exclusivamente ou não), o que pode ser útil para pessoas cuja identidade de gênero flui entre gêneros binários e não-binários. Alguém umbaliane é homem não-binárie ou não-binárie e homem, e sente atração por mulheres (exclusivamente ou não), e este termo pode ser usado da mesma forma. Alguém bigenidiane é bigênero e sente atração por pessoas não-binárias, exclusivamente ou não, e pessoas gênero-fluido entre dois gêneros contam como bigênero.

A terceira é usar um termo geral aberto a qualquer gênero que a pessoa tiver. Alguém embinárique sente atração por pessoas não-binárias (exclusivamente ou não). Alguém femínique é LGBTQIAPN+ e sente atração por mulheres (exclusivamente ou não). Alguém mascúlique é LGBTQIAPN+ e sente atração por homens (exclusivamente ou não). Quem é bi, paro, gris, sans ou de outras orientações assim já está fazendo isso.

A quarta é algo que só estou sugerindo porque já vi pessoas fazendo: usar orientações fluidas. Já vi pessoas justificando que, por exemplo, se são gays quando homens e hétero quando mulheres, isso significa que sua orientação muda (ainda que seu funcionamento não mude). Daí essas pessoas usam abro ou mud, por exemplo. Eu não acho que tais termos foram cunhados para este tipo de uso, mas tecnicamente as definições podem ser interpretadas de forma que incluem tal experiência.

Algumas listas de termos para quem quiser explorar mais isso estão disponíveis aqui, aqui e aqui.

~ Ás