Alguns termos importantes em relação a atração

Quando pessoas olham uma lista de orientações, ou uma lista de termos juvélicos grande como esta, é comum que a reação seja “eu não consigo decorar isto, então vou ignorar tudo”.

Enquanto muitos termos destas listas são específicos e só vão ser úteis para decorar se você tiver interesse em saber o que é uma palavra que alguém que você conhece usa para si ou para ajudar pessoas a descobrirem rótulos que podem usar, outros deveriam ser considerados vocabulário básico. Afinal, já deveriam estar sendo usados no lugar que outras palavras usam.

Vou começar com uma tabela básica de termos juvélicos:

termos juvélicos

Descrição da tabela:

Uma tabela que une pessoas que são (pelo menos) homens/mulheres/pessoas não-binárias/pessoas LGBTQIAPN+ e pessoas que sentem atração (pelo menos) por homens/mulheres/pessoas não-binárias.

Pessoas que são pelo menos homens e que sentem atração pelo menos por homens são aquileanas.

Pessoas que são pelo menos homens e que sentem atração pelo menos por mulheres são duáricas.

Pessoas que são pelo menos homens e que sentem atração pelo menos por pessoas não-binárias são astroidianas.

Pessoas que são pelo menos mulheres e que sentem atração pelo menos por homens são duáricas.

Pessoas que são pelo menos mulheres e que sentem atração pelo menos por mulheres são sáficas.

Pessoas que são pelo menos mulheres e que sentem atração pelo menos por pessoas não-binárias são asterianas.

Pessoas não-binárias que sentem atração pelo menos por homens são dóricas.

Pessoas não-binárias que sentem atração pelo menos por mulheres são trízicas.

Pessoas não-binárias que sentem atração pelo menos por pessoas não-binárias são enebeanas.

Pessoas LGBTQIAPN+ (de qualquer identidade de gênero, orientação ou modalidade de gênero) que sentem atração pelo menos por homens são mascicas ou mascúlicas.

Pessoas LGBTQIAPN+ que sentem atração pelo menos por mulheres são femáricas ou femínicas.

Pessoas LGBTQIAPN+ que sentem atração pelo menos por pessoas não-binárias são embináricas.

Fim da descrição da tabela.

Termos juvélicos são termos que descrevem atração de forma mais aberta do que a maioria das orientações. Podem ou não ser considerados orientações, dependendo da pessoa ou lista.

Eventos para “mulheres lésbicas e bi” poderiam ser chamados de sáficos, o que incluiria qualquer mulher que sente atração por mulheres, independentemente de como se identifica (lésbique, bi, pan, abro, poli, omni, etc).

Ao falar de um homem que gosta de homens, pode-se dizer que tal homem é aquileano, para não presumir que ele é necessariamente gay ou necessariamente gay ou de alguma das poucas orientações multi que pessoas lembram de mencionar.

Ao falar das questões de pessoas NHINCQ+ que são mulheres em relacionamentos com homens ou vice-versa, pode-se falar das pessoas duáricas que temos dentro da comunidade, não só de “pessoas hétero”. Sim, existem pessoas hétero dentro da comunidade (que são trans, intersexo, a-espectrais, etc.), mas também existem pessoas duáricas que são multi (atraídas por mais de um gênero) ou de orientações fluídas.

Termos assim também são úteis para falar da própria atração. Uma pessoa trízica pode não ter certeza se é trixensexual, feminassexual, abrossexual ou polissexual. Então pode só se dizer trízique enquanto isso, ou até mesmo depois que tiver uma certeza melhor sobre como sua orientação funciona.

Termos como mascúlique e embinárique são úteis até para pessoas que estão questionando o próprio gênero, ou que não se sentem seguras em dizer se são binárias ou não-binárias.

Caso alguém esteja se perguntando, diamórique não está na tabela porque pessoas não-binárias podem utilizar este termo independentemente de sua atração. Pessoas diamóricas podem ser trízicas, dóricas e/ou enebeanas, ou podem até mesmo não se sentir confortáveis em “dividir” sua atração por gênero.

A identidade duárica também pode ser dividida em romérica (de homens que sentem atração por mulheres) e julietiana (de mulheres que sentem atração por homens). Mesmo assim, na maioria dos contextos, geralmente é mais útil falar de pessoas duáricas num geral do que separá-las por gênero. Ainda assim, os termos estão aí, se alguém achá-los úteis.

orientações supostamente mono

Descrição da tabela:

Uma tabela que une pessoas que são (ao menos próximas a) homens/mulheres/pessoas não-binárias e pessoas que sentem atração apenas por homens/mulheres/pessoas não-binárias.

Pessoas que são ao menos próximas a homens e que sentem atração apenas por homens são gays.

Pessoas que são homens e que sentem atração apenas por mulheres são hétero.

A célula dedicada a homens que sentem atração apenas por pessoas não-binárias está marcada como “(discussão controversa)”.

Pessoas que são mulheres e que sentem atração apenas por homens são hétero.

Pessoas que são ao menos próximas a mulheres e que sentem atração apenas por mulheres são lésbicas.

A célula dedicada a mulheres que sentem atração apenas por pessoas não-binárias está marcada como “(discussão controversa)”.

Pessoas não-binárias que sentem atração apenas por homens são viramóricas.

Pessoas não-binárias que sentem atração apenas por mulheres são feminamóricas.

Pessoas não-binárias que sentem atração apenas por pessoas não-binárias são cetero/medisso ou terráricas.

Fim da descrição da tabela.

Esta tabela está aqui principalmente para mostrar que a utilidade de termos juvélicos não significa que termos mais específicos sejam inúteis, ultrapassados ou pouco importantes.

Eles só não deveriam ser usados para apagar pessoas que sentem atração por mais de um gênero puramente por serem ~mais conhecidos~ ou ~normais~.

Enfim, sei que podem ter algumas dúvidas quanto às escolhas feitas na tabela:

1) E a orientação homo?

Em muitas comunidades, palavras como homossexual são consideradas desde ultrapassadas até ofensivas. Portanto, resolvi colocar nomes mais utilizados.

Sim, pessoas podem usar gay ou lésbica por si só como orientação romântica, sexual ou de qualquer outro tipo, mesmo sendo variorientadas.

Sim, pessoas podem, se quiserem, formar comunidades homo, ou se dizerem homossexuais, homorromânticas, homoalternativas, etc. Mas, em materiais educativos, é melhor ensinar a regra do que a exceção, especialmente quando ela pode ser ofensiva.

2) E andro/gine?

Com o passar dos anos, surgiram muitas alternativas para atração de qualquer pessoa por homens ou de atração de qualquer pessoa por mulheres. Eu preferi usar viramórique e feminamórique porque são alternativas que tiveram bastante apoio por parte da comunidade, além de terem sido desde o início cunhadas para serem usadas apenas por pessoas não-binárias.

Viramórique e feminamórique são termos que podem ser usados assim para quaisquer orientações, mas também é possível usar seus prefixos para usar termos como virromântique e feminassexual.

Gine e andro especificamente são termos meio sem foco demais para eu querer colocar numa tabela assim.

3) Cetero só pra pessoas não-binárias? Atração por pessoas não-binárias é controversa? Hein?

Aviso de conteúdo: discussão sobre chasing.

Cetero/medisso (antigamente skolio) foi uma orientação basicamente cunhada para tapar buraco, já que não existiam termos específicos de atração por pessoas não-binárias mesmo quando existiam termos específicos de atração por homens e por mulheres.

A definição original realmente só denotava que era alguém que sentia atração apenas por pessoas não-binárias, sem especificação da parte de quem sente a atração.

Porém, muitas pessoas não-binárias levantaram a preocupação de chasing, isto é, de pessoas cis que vão atrás de pessoas trans por conta de verem pessoas trans como fetiches.

Como a grande maioria das pessoas binárias nem convive o suficiente com pessoas não-binárias para saber que podem ter diversas identidades e expressões de gênero, e como é muito mais comum que pessoas binárias sintam atração também por ao menos um gênero binário quando sentem atração por pessoas não-binárias, muita gente concordou que seria melhor “fechar” a orientação cetero para pessoas não-binárias.

Cetero eventualmente ganhou um novo nome, medisso, para não parecer tanto com hétero.

Já terrárique foi sempre um termo para pessoas não-binárias atraídas por pessoas não-binárias.

Sinceramente, eu nunca vi uma pessoa binária atraída somente por pessoas não-binárias, para ver a necessidade de um termo que também englobe elas.

Na maioria dos casos, só vejo pessoas que são não-binárias tendo preferências por pessoas não-binárias, mas raramente não sentem atração por pessoas binárias. E é muito mais comum que pessoas não-binárias tenham mais convivência entre várias outras pessoas não-binárias, a ponto de não considerar atração por elas alguma exceção.

Eu não acho que seja impossível de uma pessoa binária ter somente atração por pessoas não-binárias. Mas acho que isso tem que ser trabalhado em conjunto, se essa pessoa quiser adotar um rótulo que denote atração somente por pessoas não-binárias.

De qualquer forma, termos como asteriane (para mulheres que sentem atração por pessoas não-binárias sem dizer se a atração é exclusiva ou não), astroidiane (para homens que sentem atração por pessoas não-binárias sem dizer se a atração é exclusiva ou não) ou embinárique (para qualquer pessoa que sente atração por pessoas não-binárias sem dizer se a atração é exclusiva ou não) são relativamente aceitos. Uma pessoa com atração por mais de uma identidade não-binária também pode se dizer bi ou poli.

 

Um comentário sobre “Alguns termos importantes em relação a atração”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s